Médico em Casa

Aqui você encontra entrevistas médicas sobre saúde e bem-estar

Aqui você encontra entrevistas médicas sobre saúde e bem-estar

Telemedicina

O Conselho Federal de Medicina (CFM) encaminhou um ofício ao Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em que reconhece o uso da telemedicina no país. A decisão, publicada na página do CFM e pelo Ministério da Saúde, no diário oficial, vale em caráter excepcional como parte do combate à epidemia de COVID-19.

Durante a teleconsulta o médico deve registrar a hora, data e a tecnologia utilizada. A receita e atestados médicos enviados eletronicamente ao paciente devem conter o número do Conselho Regional de Medicina (CRM) e a unidade da federação a qual o médico pertence.

Obesidade

Pessoas com obesidade têm uma menor atividade citotóxica nas células, que são responsáveis por detectar vírus e bactérias. Por isso, algumas entidades, como a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e a World Obesity Society, alertam que os obesos fazem parte do grupo de risco ao contrair o CODIV-19.

Atualmente, 55,7% da população adulta do Brasil está com excesso de peso e 19,8% está obesa, de acordo com a pesquisa do Ministério da Saúde.

Diabetes

O diabetes mellitus pode ser um complicador para quem foi diagnosticado com coronavírus. Estudos em andamento mostram que pacientes com o diabetes tipo 2, que adquiriram o coronavírus, tiveram de duas a três vezes mais riscos de complicações. 

O diabetes mellitus é mais comum em idosos segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia (SBEM).

Doenças respiratórias

Com o outono, o ar tende a ficar mais seco, ocasionando sintomas de alergia com espirros, coriza, obstrução nasal, coceiras no nariz, ouvido, garganta, tosse e falta de ar.

 A rinite e asma também são doenças comuns no outono,  se manifestam com sintomas respiratórios. Por isso, é importante estar atento e se cuidar, mas é importante os pacientes não confundirem esses sintomas com o coronavírus.

A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) alerta: a alergia não provoca febre! 

Boa Saúde

Em algumas entrevistas aqui no portal, os médicos foram unânimes ao falar sobre como ter boa saúde. São três dicas simples que devemos pôr em prática no dia a dia:

  • Sono – as crianças precisam dormir 10 horas por noite e adultos 08 horas;
  • Alimentação – todos devem comer alimentos saudáveis e beber água para hidratar-se;
  • Exercício – as crianças com mais de 04 anos precisam fazer atividades físicas por 60 minutos todos os dias, os adultos, no mínimo, 150 minutos semanais.

Coronavírus

Diariamente o Ministério da Saúde nos informa sobre novos casos de coronavírus (COVID-19). Devemos nos preparar para a tendência do aumento dos casos nas próximas semanas.

Vamos continuar colaborando com as equipes médicas para o controle do vírus com as seguintes atitudes:

  • Quando sair de casa use uma máscara para se proteger e poupar os que estão por perto;
  • Mantenha distância das pessoas;
  • Quando retornar a sua casa, deixe os sapatos na entrada e tome um banho;
  • Mantenha as mãos sempre limpas lavando-as com água e sabão, quando não for possível, use álcool gel;
  • Limpe superfícies tocadas com frequência por outras pessoas;
  • Evite tocar os olhos, nariz e boca;
  • Sempre cubra a boca ao tossir;
  • Não compartilhe objetos pessoais como copos e talheres;
  • Higienize objetos como óculos, chaves, celulares e computadores;
  • Procure tomar 20 minutos de sol todos os dias e abra as janelas da sua casa para ele entrar, segundo alguns estudos, o coronavírus não resiste ao calor;
  • Idosos e portadores de doenças crônicas, considerados grupos de risco para adquirirem o coronavírus, devem evitar sair de casa. 

Cabe a cada um fazer a sua parte no convívio social. 

O tempo de incubação do coronavírus é entre 02 e 14 dias. Devem procurar por ajuda especializada pessoas com febre e dificuldade para respirar.

Fast Track

Pacientes com suspeita de coronavírus serão atendidos rapidamente e encaminhados para salas de isolamento respiratório dentro das unidades de saúde, evitando o contágio local entre os pacientes.

As pessoas que buscarem as unidades com sintomas característicos do COVID-19, como febre junto com tosse, dor de garganta ou dificuldade respiratória, passarão pela triagem rápida (Fast Track), um protocolo de fluxo de atendimento para ser utilizado durante a emergência do coronavírus.

Influenza

A vacina influenza está disponível nos postos de saúde para os idosos e funcionários da área da saúde que trabalham no atendimento à população.

A partir de 09 de maio podem se  vacinar as crianças a partir de seis meses até seis anos, pessoas com mais de 55 anos, gestantes, mães no pós-parto, população indígena e pessoas com deficiências.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, destaca que “as influenzas A e B são mais comuns que o coronavírus e a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe diminui a situação endêmica dos vírus respiratórios no país. É importante que as pessoas que fazem parte do público-alvo da campanha procurem uma unidade de saúde”.

Doação de sangue

A doação de sangue precisa continuar para que várias doenças possam ser tratadas. Os hemocentros e serviços de hemoterapia estão preparados para receberem os doadores disponibilizando lavagem das mãos, uso de antissépticos e minimizando aglomerações.

As pessoas entre 16 e 69 anos com mais de 50 quilos e em bom estado de saúde podem doar sangue. Para os menores de 18 anos é necessário o consentimento dos responsáveis e, entre 60 e 69 anos, se o doador tiver feito isso antes dos 60 anos.

O doador deve estar descansado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas antes da doação e não estar de jejum.

São considerados doadores inaptos as pessoas que pegaram o COVID-19, por um período de 30 dias, e pessoas que apresentarem sintomas respiratórios, febre ou tiveram contato com casos suspeitos ou confirmados.

É imprescindível levar um documento com foto.

Obesidade Infantil

O leite materno deve ser o alimento exclusivo do bebê nos primeiros seis meses de vida. Depois desse período, os pais devem oferecer alimentos saudáveis, feitos em casa e sem açúcar, até os dois anos de idade. Os hábitos saudáveis são formados nessa fase da vida e nos anos seguintes.

É responsabilidade dos pais oferecer a alimentação correta aos filhos para que tenham boa saúde. Os alimentos processados não são saudáveis, crianças com excesso de peso têm risco maior de se tornarem adolescentes e adultos obesos, desenvolverem doenças crônicas como alergias, diabetes, hipertensão, colesterol alto e outras doenças cardiovasculares.

Deixe um bom exemplo aos filhos proporcionando alimentação saudável e melhore a qualidade de vida de toda a família.

Receba novidades no seu email

Uso-de-Joelheiras-ajuda-na-dor-dos-joelhos

Dores no joelho

Entrevista com o Fisioterapeuta Neuromuscular e Biomecânica
Dr Thiago Fukuda

Vacinação-SUS

Vacinação de Adultos

Entrevista com a Pediatra e Coord. de Imunologia da Sec. Est. de Saúde de São Paulo
Dra Helena Sato

Cuide da sua saúde

Estamos sempre antenados do que existe de novidades e bem-estar para trazer qualidade de vida e saúde para você e sua família.

Cuide da sua saúde

Estamos sempre antenados do que existe de novidades e bem-estar para trazer qualidade de vida e saúde para você e sua família.

Fechar Menu