Médico em Casa

Marca-passo Cardíaco

Entrevista com o médico cardiologista
Dr. Paulo Campos
CRM/SP:77.162

– Graduado e doutor pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP);

– Especialista em doença cardiovascular pela American Board of Internal Medicine;

– Premiado na University Of Tennessee Health Science Center pelo desenvolvimento de uma pesquisa em cardiologia.

 

Silmara Biazoto

Portal Médico em Casa – Qual o diagnóstico que indica que um paciente precisa de marca-passo?

Dr. Paulo Campos – Marca-passo é um dispositivo que vai ser implantado em substituição ao nosso sistema de condução, nosso marca-passo natural. O sintoma mais comum que leva à necessidade do marca-passo é uma bradicardia importante, ou seja, uma frequência cardíaca muito baixa com geração de sintomas, como cansaço físico, pulso baixo, tontura, perda de consciência. O paciente tem um diagnóstico de bloqueio do coração, bloqueio elétrico. Às vezes, na situação de emergência ou de muita instabilidade com pressão muito baixa, inúmeros sintomas, o paciente chega ao hospital e é necessário o implante de um marca-passo transvenoso. Depois da estabilização clínica, ele é avaliado para o marca-passo definitivo.
Isso é muito comum no paciente idoso. Há um desgaste, uma degeneração do sistema elétrico do coração, os batimentos começam a falhar – isso vale para a grande maioria dos pacientes.
Outra causa importante no nosso país é a doença de Chagas em áreas endêmicas específicas do país, onde o agente infeccioso, o Trypanosoma cruzi, tem uma predileção para atacar o próprio sistema de condução. Assim, jovens moradores de áreas endêmicas vão precisar do marca-passo também. Esse é um grupo menor em incidência, mas que necessita do aparelho.
Um terceiro grupo é o de pacientes que vão precisar de um marca-passo especial, são os pacientes com insuficiência cardíaca. Grupos selecionados com alguns critérios específicos e podem se beneficiar de uma terapia chamada eletromecânica, que utiliza um marca-passo especial para melhorar e coordenar a contração do coração já dilatado e enfraquecido.

 

Portal Médico em Casa – Qual o cuidado que pacientes com marca-passo devem ter no dia a dia? Eles podem fazer exame de imagem?

Dr. Paulo Campos – Depende do exame, alguns marca-passos atuais já têm a capacidade do paciente ser submetido a uma ressonância magnética. Os campos magnéticos podem interferir no marca-passo. As gerações mais antigas do aparelho não permitem que o paciente faça qualquer tipo de imagem. Não há problema para tomografia, radiografia e ultrassom.
Linhas mais novas do aparelho podem permitir a geração magnética da ressonância. Em geral, vida normal para exames de imagem.
 
 

Portal Médico em Casa – Inclusive para fazer atividade física?

Dr. Paulo Campos – Sim, com orientação dependendo da indicação prévia ao marca-passo.
O segmento vai ser feito com especialistas que implantam o marca-passo, os cirurgiões cardíacos ou eletrofisiologistas, que de tempos em tempos, no mínimo a cada seis meses, devem fazer uma checagem do aparelho. Os computadores fazem um interrogatório do marca-passo para a verificação da bateria e de alguma falha, uma arritmia que pode estar acometendo a qualidade de vida ou gerando algum outro sintoma ao paciente. Em geral, os novos marca-passos têm uma sobrevida de bateria de 10 anos e pode chegar até 15 anos.
 
 

Anunciar é a melhor forma da sua marca ser lembrada.  Entre em contato conosco, clique aqui.

Deixe uma resposta

Fechar Menu