Médico em Casa

Prevenção de Doenças

Bons hábitos & Check-up

Entrevista com a  Endocrinologista e Pesquisadora da UNIFESP

 Dra. Maria Izabel Chiamoleira

CRM/SP:94.038

Quais são os desreguladores endócrinos?

Desreguladores endócrinos são todos os agentes químicos presentes no ambiente capazes de causar alterações no sistema endócrino, pode ser produção, ação e metabolização desse hormônio.

Nas últimas décadas o tema teve muito destaque para um dos elementos componentes da síntese do plástico, principalmente dos plásticos duros, que é o bisfenol A.

São vários os exemplos de desreguladores endócrinos: os herbicidas e pesticidas usados na agricultura, além dos muitos estudos sobre os protetores solares, que contêm um monte de química. Será que eles não estão nos afetando? Então são estudados isoladamente.

Quais são os sintomas para as pessoas que continuam em contato com esses desreguladores?

O efeito pode ser mais sutil, que é o de aumentar a quantidade de pacientes com hipotiroidismo, algo que vamos ver no nosso dia a dia, além do aumento do número de pessoas com câncer de tireoide e de mama, isso do ponto de vista da população. Do ponto de vista individual, muitas vezes é difícil notar uma diferença muito grande, a não ser que a pessoa desenvolva uma alteração. Já tiveram várias evidências de alteração no sistema gonadal feminino durante a puberdade das meninas (gônada é o nome genérico das glândulas sexuais).

Além da tireoide, os desreguladores endócrinos também estão correlacionados a diabetes tipo 2 e obesidade?

Como vivemos hoje uma epidemia de obesidade, de diabetes e alterações tiroidianas, acabam sendo esses os alvos dos estudos agora. No início, os estudos foram muito focados na parte de desenvolvimento sexual por causa das evidências iniciais vistas nos animais, mas agora está sendo estudado o aumento dos casos de obesidade e diabetes.

Para encerrar, quais são as recomendações no dia a dia?

A exposição é muito ampla. Eu brinco que a gente teria que viver numa bolha de vidro para estar isento de exposição. Apesar de não ter uma recomendação nacional, a agência ambiental americana tem uma série de recomendações, entre elas, evitar o uso de plástico para o aquecimento dos alimentos em que exista uma volatilidade dos elementos químicos do plástico, que não é somente o bisfenol A. Temos os ftalatos, outro elemento usado na confecção dos plásticos, que tem muitas evidências de desregulação endócrina. Além disso, recomenda-se dar preferência para os alimentos orgânicos, que foram menos expostos aos agrotóxicos.

Dentro das recomendações o que falam muito é incentivar a pesquisa, ampliar a percepção da população sobre o assunto, pressionar a indústria para a melhoria dos materiais menos tóxicos, mas para a população o que sobra fazer além de ser mais consciente a respeito, é evitar os químicos mais óbvios e mais fáceis de identificar.

Veja também

Deixe uma resposta

Fechar Menu