Médico em Casa

Dor de cabeça

Entrevista com a neurologista e diretora da Sociedade Brasileira de Cefaleia 
Dra Célia Roesler
CRM/SP: 37.949

Silmara Biazoto

Há vários tipos de cefaleia, vamos classificá-las e dar a origem delas?

É importante nós sabermos que existem cefaleias primárias e secundárias.

  • Nas primárias, a própria dor de cabeça é a doença: como a enxaqueca, a cefaleia do tipo tensional e  em salvas;
  • Nas secundárias, como o próprio nome está dizendo, são secundárias a alguma doença: como a meningite, um tumor, uma disfunção temporomandibular e problemas visuais.

Existem mais de 200 tipos de dores de cabeça ou cefaleia, a enxaqueca é um destes tipos e o mais conhecido, apesar de não ser o mais comum.

Infelizmente todo mundo acha que dor de cabeça e enxaqueca são a mesma coisa. As pessoas falam: “estou com uma dor de cabeça, estou com enxaqueca”, mas essa pode ser uma dor de cabeça secundária. Por isso, tem que pesquisar, prestar atenção e não ficar se automedicando.

 

A cefaleia tensional é a mais comum?

A mais comum de todas as dores de cabeça é a cefaleia tensional episódica, que é aquela que mais de 90% da população já teve porque bebeu um pouco a mais, dormiu mal ou trabalhou excessivamente.

É uma dor em peso, moderada e que cede com qualquer analgésico.

 

O que acontece numa crise de enxaqueca?

Durante uma crise de enxaqueca acontece um processo inflamatório dos vasos que ficam entre a calota craniana e o couro cabeludo. Eles primeiro contraem e depois dilatam, quando dilatam vem o latejamento e o processo inflamatório. Por isso, os medicamentos usados para abortar um processo de enxaqueca são aqueles que contraem os vasos construtores, geralmente associados a anti-inflamatórios, com o objetivo de combater esse processo inflamatório.

 

Como o paciente sabe que está tendo uma enxaqueca?

A enxaqueca é bem característica, é uma dor pulsátil ou latejante que pega geralmente a metade da cabeça e quando muito forte faz doer a cabeça toda. Ela dura de 04 a 72 horas, pode vir acompanhada de náuseas, vômitos, intolerância à luz, a cheiros, a barulho e a movimentos.

Há dois tipos de enxaqueca, com aura e sem aura. Com aura, acontece tudo que falamos, só que a diferença é que antes de vir a dor, a pessoa tem aura, que pode ser uma alteração visual ou sensitiva:

  • Na visual, ela enxerga cobrinhas luminosas ou bolas pretas, perde a metade da visão;
  • Na sensitiva, tem dormências que começam na mão, no antebraço, no braço, metade do rosto e metade da língua. Essas alterações podem durar de 10 minutos até uma hora.

 

A enxaqueca é mais comum nas mulheres?

É mais comum nas mulheres devido principalmente às oscilações hormonais, por isso que muitas vezes a enxaqueca pode começar na menarca, que é a primeira menstruação, pode piorar no período pré, intra, e pós-menstrual, melhorar na gravidez e muitas vezes sarar na menopausa.

Aquelas mulheres que tomam anticoncepcional combinado, que é o caso da progesterona com estradiol, e apresentam enxaqueca com aura têm um risco maior de ter um Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou um derrame. Esse também é um risco de qualquer paciente fumante, porque o tabaco e a enxaqueca com aura aumentam muito o risco de um acidente vascular cerebral ou um derrame.

 

Os homens também têm enxaqueca?

A dor de cabeça mais comum no homem não é a enxaqueca, é uma dor de cabeça que nós chamamos de cefaleia em salvas, são salvas de dor. Nós que somos especialistas em dores de cabeça falamos que é a pior dor de cabeça que existe, porque é uma dor como se fosse um ferro em brasa perfurando o crânio, muito intensa e lancinante. Ela inclusive já é chamada de cefaleia suicida porque já teve gente que tentou o suicídio por causa dessa dor de cabeça.

 

Qual a origem dela?

Ninguém sabe exatamente. Sabe-se que deve ter uma disfunção do nervo trigêmeo, mas não é a neuralgia do trigêmeo. Ela é diferente da enxaqueca porque acontece em períodos, podendo ocorrer uma vez por ano, mas com duração de até três meses e são várias crises no dia, então são crises que se repetem e são muitos intensas.

É muito importante ter o diagnóstico dessa dor porque não adianta ficar em repouso como na enxaqueca, não adianta tomar um analgésico comum porque ela é completamente diferente das outras cefaleias primárias.

 

Ela é episódica ou crônica?

Ela pode se cronificar, mas normalmente é episódica.

 

Os alimentos provocam a enxaqueca?

No caso da enxaqueca existem alguns estudos sobre alimentos que podem contribuir para desencadear as crises. Eles são chamados de gatilhos, depende da  sensibilidade do paciente.

O chocolate pode ser um desencadeante, embutidos como salame e presunto, molhos vermelhos, queijos amarelos e frutas cítricas. O desencadeante mais importante é o álcool, principalmente o vinho tinto. Então, neste caso, a pessoa deve ficar atenta para evitá-los.

Exatamente por isso que nós fornecemos a todo paciente que começa a tratar conosco um “diário de dor de cabeça” e ele vai anotar:

  • O dia que doeu;
  • A hora que começou a dor;
  • Quanto tempo durou;
  • Qual o medicamento que ele tomou para abortar a dor ;
  • O que aconteceu antes da dor;
  • Como se alimentou;
  • Se passou um nervoso muito grande;
  • Se não dormiu a noite;
  • Se não pôde almoçar neste dia.

Com as informações vamos descobrindo quais são os gatilhos para este paciente, porque conseguir diminuir os gatilhos já é um passo bem importante para o tratamento.

 

E os alimentos que contribuem para evitar a dor?

Vários alimentos podem contribuir para melhorar:

  • O primeiro da lista é a água. Se o paciente está longe de mim e não tem um remédio, o que ele faz: toma água, muita água. Por que ele vai urinar bastante e vai eliminar as toxinas que estão contribuindo para a dor;
  • O gengibre é considerado um anti-inflamatório. Um chá de gengibre bem concentrado pode contribuir para melhorar uma crise de enxaqueca, mas vale lembrar que estamos falando de crises moderadas;
  • A pimenta é considerada muito importante para a dor de cabeça, tem até estudos falando que quanto mais ardida a pimenta, maior a ajuda para abortar a crise. Os estudos mostram que quando ela toca o céu da boca, estimula os receptores da endorfina, que é nosso analgésico natural, a produzir endorfina para melhorar a dor. Tem alguns estudos que estão querendo fazer spray de pimenta para melhorar a dor de cabeça;
  • O selênio presente na castanha do pará;
  • Folhas escuras: a rúcula e a couve, que têm vitaminas B12, vitaminas do complexo B, também contribuem para evitar dor de cabeça;
  • O café pode ser um herói ou um vilão. Um cafezinho pode até abortar uma crise, mas se o paciente tomar muito café no dia a dia, pode ter dor de cabeça por uso abusivo.

Quais são os tratamentos para a enxaqueca?

Existem dois tipos de tratamentos medicamentosos:

  • O abortivo, quando se toma um medicamento orientado pelo seu médico para abortar a crise;
  • O preventivo, em que o paciente toma uma medicação diariamente para prevenir as crises. Este é um tratamento longo que vai depender muito da resposta do paciente, são remédios que podemos usar para a pressão, para o coração, para a depressão e para epilepsia, mas tudo em doses menores que as usadas para essas respectivas doenças. São medicamentos usados para outras doenças, mas há estudos comprovando que eles também ajudam na diminuição da frequência das crises.

Entre os tratamentos agudos abortivos, nós temos os não-medicamentosos:

  • As orientações alimentares;
  • Atividade física regular;
  • Horário de sono regular;
  • Não ter jejum prolongado;
  • A neuromodulação, que não é remédio. Nesse caso, provoca-se o estímulo no nervo trigêmeo com a sensação de melhorar a dor, tanto na crise como na prevenção.

Entre os tratamentos preventivos para a enxaqueca crônica, ainda tem a toxina botulínica, aprovada em 2011 no Brasil pela Anvisa. Trata-se de várias aplicações com intervalos de 3 a 4 meses que respondem muito bem também às dores.

 

Como identificar que a dor não é nenhuma cefaleia, mas algo mais grave?

O paciente que sempre tem aquela dor de cabeça ou tem uma enxaqueca esporádica ou uma cefaleia do tipo tensional e de repente tem uma dor que nunca teve acompanhada de febre, rigidez de nuca ou vômito em jato, nesse caso pode ser uma meningite.

Já uma dor muito forte parecida com a de salvas, uma dor lancinante, explosiva, pode ser sinal de um aneurisma que esteja rompendo.

Uma dor que traz junto uma alteração de marcha ou perda de visão pode ser um tumor que está pegando o lóbulo central. Essa dor diferente que ele não estava habituado a ter e sente que algo está estranho, é um sinal de alerta do organismo, um alarme. Nesses casos, se ela mudou muito, o mais aconselhado é procurar ajuda porque alguma coisa está errada.

 

Quando é um AVC, como é a dor?

Muitas vezes o AVC não dá dor, às vezes uma crise hipertensiva dá uma dor muito forte na nuca.

Um AVC hemorrágico, um aneurisma que está sangrando ou um AVC isquêmico, aí sim dá uma dor lancinante que parece que o cérebro vai explodir. É uma dor explosiva. Muitas vezes o paciente perde a consciência e não dá tempo nem de ir para o hospital.

Anunciar é a melhor forma da sua marca ser lembrada.  Entre em contato conosco, clique aqui.

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu