Médico em Casa

Tratamentos Médicos

Alternativas & Recomendações médicas

Incontinência Urinária

Entrevista com o Urologista
Dr Paulo Rodrigues
CRM/SP: 60.050
Silmara Biazoto

Por que algumas pessoas depois de uma certa idade, por volta dos 50 anos mais ou menos, passam a ter dificuldade para segurar o xixi?

De uma maneira geral, mas muito simplista, há duas vertentes:

  • A incontinência urinária por esforço, que é aquela que ocorre quando se aumenta a pressão dentro da sua barriga por exercício físico, tosse, espirro, dar risada, falar mais alto, subir uma escada e evacuar. Todos esses exemplos exigem uma pressão maior na barriga.
  • O descontrole da bexiga que tem um espasmo, grande o suficiente para fazer sua bexiga vazar contra a vontade.

O que se observa é que quando essas pessoas começam a apresentar o problema abrem mão de subterfúgios, tomam menos líquido, começam a prestar atenção onde tem banheiros e usam fraldas, que são elementos de defesa para contornar a doença.

O melhor momento para tratar é no início, porque se consegue reverter e infelizmente os estudos mostram que os pacientes aparecem no consultório em torno de 7 a 10 anos depois que o problema começou e já se criou um imprint cerebral, ou seja, um modo de viver que é mais difícil de reverter.

Os alimentos podem interferir no aparecimento da incontinência?

Alguns alimentos são mais irritantes ou estimulantes para a bexiga. As pessoas que têm incontinência urinária por bexiga hiperativa, diante do uso do álcool, cafeína, chocolate e chá podem piorar essa circustância de uma maneira significante.

Às vezes são pessoas que estão no limiar da apresentação clínica, ou seja, elas algumas vezes têm problemas, mas se expostas a esses alimentos pioram a ponto de ter perda de qualidade de vida.

Os exercícios de contração dos músculos da região genital ajudam no seu fortalecimento?

O exercício em si não é simples e também já foi identificado que muitas mulheres não têm uma identificação neuronal sobre o assoalho pélvico. Como não se trata de uma musculatura visível, quando eu digo: tente contrair o seu músculo obturador, a paciente não consegue fazer isso, algumas vezes é necessário o entendimento da anatomia adequada.

Em geral, pode ser feito com o auxílio de uma fisioterapeuta ou de um médico para que a paciente possa ser instruída para fortalecer aquela musculatura. Existem exercícios que podem ser feitos com a perna, que mexem intrinsicamente com essa região porque há um cruzamento de musculaturas e enervação entre os músculos da perna e os músculos do assoalho pélvico.

A incidência da doença é maior no homem ou na mulher?

Espetacularmente maior na mulher porque nós temos uma distinção entre os sexos que é a gravidez. Ela é um elemento fundamental para fazer aparecer a incontinência urinária, seja por hiperatividade da bexiga ou por esforço.

A gravidez tem um impacto que vai ser expressivo muito mais em torno dos 45 e 50 anos de forma progressiva, porque além do envelhecimento humano na mulher, tem-se o estresse provocado pelo parto com afrouxamento da musculatura do assoalho pélvico e dos ligamentos que sustentam os órgãos que vão causar o que chamamos de prolapso genital, vulgarmente conhecido como bexiga caída.

O que exatamente é feito na cirurgia para o paciente voltar a ter controle sobre o xixi?

Quando nós falamos de incontinência urinária, frequentemente ela vem associada a outros prolapsos, como queda de bexiga, do útero, do reto e do intestino. Todos eles tendem a se exteriorizar pelo canal vaginal, então, esse conjunto de órgãos depende de onde foram rompidos os ligamentos que seguram um ao outro.

Quando há uma ruptura das fáceas que seguram os órgãos, todos eles descem por conta de estarmos de pé em boa parte do tempo, sob o efeito da gravidade.No final das contas é quase uma aula de física isso que estamos conversando, no interior do corpo humano se tem um equilíbrio, a medida que uma força é retirada, neste caso através do rompimento das fáceas, um outro órgão vai sentir a pressão aumentar.

Essa matéria é muito estudada na população. A perda involuntária de urina tem uma prevalência muito grande, quase 1/4 dos adultos têm algum tipo de problema para urinar, mas poderia estender e dizer que entre 5 e 6% das pessoas também têm problema para evacuar, enfim os distúrbios de micções são muito prevalentes na população.

Dr Paulo Rodrigues CRM/SP: 60.050

Veja também

Deixe uma resposta

Fechar Menu